quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Do baú

Ando cheia de ideias de posts – e sem muito tempo de escrever novidades. Em uma rápida busca por arquivos antigos, encontrei textos escritos em janeiro de 2008 para um site de cultura mineiro que não chegaram a ser publicados [após dois dias de trabalho em casa, fui informada de que a verba para o pagamento havia sido cancelada....]

Para que o material não se torne obsoleto de uma vez por todas, segue a dica de uma iniciativa que, tenho certeza, merece ser melhor divulgada.

Curta-metragem na Internet

Nem sempre navegar a esmo na Internet pode levar a terra firme. Uma opção de qualidade para produtores independentes e interessados em cinema e curta-metragem é o Porta Curtas Petrobras. O site disponibiliza 563 curtas gratuitamente, respeitando seu formato original e os direitos autorais dos criadores. Entre as opções, há clássicos como o documentário Ilha das Flores, de Jorge Furtado (1989, 13 minutos) e estréias como Nada Consta, de Santiago Dellape (2007, 8 minutos), que recebeu o prêmio de Melhor Roteiro no Festival de Brasília do ano passado.

Com o objetivo de veicular curtas representativos da produção nacional em termos de técnicas e elenco, o Porta Curtas aposta no potencial da Internet para difusão dos vídeos. A proposta é simples: webmasters e blogueiros podem exibir um curta em seu site ou blog a partir de um link oferecido pelo Porta Curtas. Dessa forma, o site já contabiliza mais de 8 milhões de exibições.

Entre outras ferramentas do site, é possível dar notas aos curtas e organizar vídeos favoritos na “Cinemateca”, recomendando sua seleção a amigos por e-mail. A reprodução dos conteúdos fora da Internet está autorizada sem restrições para uso pedagógico em escolas.

Uma dica especial é A Moça que Dançou Depois de Morta, de Ítalo Cajueiro (2003, 11 minutos). Produzido inteiramente com xilogravuras de cordel do artista pernambucano J. Borges, conta a história de um rapaz que se apaixona por uma misteriosa moça num baile de carnaval do interior.

[Enquanto não uso o Tutu para exibições dos curtas, a dica é digitar o nome do filme no campo de "busca" do site. E estourar a pipoca!]

3 comentários:

homerman disse...

Esses sites são muito legais. Vídeos caseiros, no Youtube, é o que mais tem. Mas com esses sites, pode-se selecionar por gênero, ano duração ou formato. Uma dica: eu gosto do Portacurtas, mas o Curtagora (http://www.curtagora.com) permite a 'incorporação' de vídeos do Youtube na página do site, o que é uma alternativa muitas vezes mais adequada pra quem tem conexão banda-larga e não se convence mais com o streaming. Nunca parei pra comparar, mas é capaz que lá tenha até mais curtas que no Portacurtas.

Abraço, Júlia!

Anderson Ribeiro disse...

E tá esperando o que pra exibir no Tutu?

Júlia Tavares disse...

Homer, obrigada pela referência! Vou ver como me aproveito do Curtagora. Assim o Anderson me dá um desconto. Abraços!