terça-feira, 1 de setembro de 2009

Uberlândia 121 anos



















Dois dias de sono com barulho de carro e buzina na janela. Do sexto andar do hotel vejo um horizonte de prédios e avenidas largas. Vias de quatro pistas com retornos malucos capazes de enlouquecer o mais hábil motorista. À noite, restam poucas opções de refeições além das grandes churrascarias: rodízios podem sair por 10,90, 13,90, 17,50 ou 29,90. O desfile mórbido de costelas, corações, peitos e asas de quadrúpedes e bípedes segue intenso por estas vitrines carnívoras.

Cheguei em Uberlândia nesta segunda-feira, em pleno feriado dos 121 anos. Não vejo motivos de comemoração, mas sim uma cidade do culto ao automóvel, sem os traços típicos da acolhida mineira. Meio Goiás, meio São Paulo. Nada de Minas. O Triangulo não me deixa saudades.

[Aqui, as impressões anteriores escritas há um ano!]

7 comentários:

Thiago Soares disse...

Respeito sua opinião,porém não concordo.Minas deve-se orgulhar de Uberlândia...

Júlia Tavares disse...

Oi, Thiago!
Claro que escrevi sobre impressões vagas - e parciais. Gostaria de conhecer melhor novos ângulos de Uberlandia - se quiser, fique a vontade para contar quais os maiores atrativos da cidade! (Eu gostei muito da Federal...)
Abraço.

homerman disse...

Júlia, que tipo de restaurantes você gosta?

É estranho... a cada três posts que vejo aqui, no mínimo um está reclamando, mesmo que de passagem, de alguma coisa ou alguém.

Você está morando em Minas. Qual é a natureza dessa misantropia?

Abraços.

Anônimo disse...

Júlia, tudo a ver seu comentário. Também respeito as pessoas nativas, a história, os moradores,etc... Moro em Varginha, onde voce tambem já visitou e que tenho certeza, teve a mesma impressão que teve nessas outras cidades. Nada de diferente, ou seja, o culto ao automóvel, ao som de 2.000.000.000 watts em carros que custam 3 vezes menos que o próprio som, enfim,uma São Paulo reduzida... Concordo com você, principalmente por ser nascido em uma cidade dessas.

Anônimo disse...

O comentário acima foi meu, Marcelo de Paiva, e ao postar entrou como anônimo... mas ratifico tudo que disse.

Júlia Tavares disse...

Olá, Homer,
Sim, este olhar crítico - ou seria "cri-cri"? - faz parte do meu ser. Tenho este espírito observador com predileção pelo estranho, bizarro, destoante. Mas fique tranquilo, não há "misantropia".
Marcelo, na verdade eu aproveito minhas viagens pelo interior para destacar curiosidades. Em Varginha, achei super interessante ver de perto a ode ao ET. Mas as vezes não tenho tempo de circular pela cidade ou sou tomada de uma impressão superficial. Quando isso acontece, raramente "rendo" um comentário. Uberlândia foi exceção.
Abraço!

homerman disse...

Gostei da expressão "cri-cri". ^^

Você tem, sim, um olhar muito interessante. Mas no post, não parece construtivo. Não sei em que grau isso pode te ofender, mas parece a mesma opinião que todo brasileiro tem, elaborada de uma forma mais formal, mas que não leva à nada. Misantropia talvez tenha sido exagero, mas está tudo bem mesmo?

Abraço.