sábado, 19 de julho de 2008

Valadares News

Tive três dias e duas noites de verão na cidade que ganhou fama por seu principal produto de exportação: os próprios moradores. Ainda lembro de algum “Globo Repórter” sobre o espírito aventureiro dos mineiros de Governador Valadares, que migravam em massa para os EUA.

Aqui, cabe uma explicação. O que na verdade me levou a Valadares foi uma pomada cicatrizante a base de repolho. Mas no intervalo entre a plantação da hortaliça e a farmácia de manipulação, cacei pistas um pouco mais culturais sobre a cidade. Concretamente, só encontrei um outdoor da escola de inglês CCAA reproduzindo uma nota de 100 dólares, com letras garrafais dizendo “Aqui suas chances ficam ENORMES”.

Horas depois, uma conversa com o farmacêutico indicou que a CCAA pode estar desperdiçando com a propaganda. Segundo ele, os sonhos de grana agora se realizam na Europa – mais especificamente na Espanha e na Irlanda. Dublin anda falando mineirês by Governador Valares.

Engraçado, porque a cidade não parece ser tão pobre. O Centro, agitado e muito organizado em quadras padronizadas, tem lojas para todos os bolsos. A vista do pico do Ibituruna, que permite ver em detalhes todo o vale do Rio Doce, é exuberante. E as promessas de melhora na economia local também são altas.

Quando a única fonte de notícias é o Diário do Rio Doce, o otimismo é ainda maior. Audacioso, o jornal não dá a mínima para imparcialidade. Manchete: “Um fato histórico – ARACRUZ É DE VALADARES.” As páginas sobre a assinatura para a construção da fábrica de celulose na cidade não incluem nenhuma linha sobre os possíveis impactos ambientais que o empreendimento pode trazer. Um panfleto e tanto, com diversos anúncios pagos comemorativos por parte dos candidatos a prefeito. “A Aracruz é nossa! Mourão também!”/ “Aracruz em GV, Agora é pra valer – Compromisso Jayro Lessa”/ etc.

Uma última observação: em cidade pequena, eleições municipais devem ter mais impacto que as estaduais. É grana correndo solta. E promessa de remuneração para muitos futuros funcionários de confiança - exatamente aqueles que não precisam do emprego na Aracruz Celulose.

Aos ávidos por imagens, algumas fotos representativas no site ValadaresMG.

5 comentários:

SaintCahier disse...

Menina, eu fiquei hourrourizado com a tal reportagem que saiu no Estado de Minas sobre a mineração do ouro num cu-de-judas desses aqui de minas. Parecia uma daquelas histórias de criancinhas chinesas comendo lanchinho com mercúrio. E os técnicos da empresa garantindo à população que tudo está sob controle! (eu só me lembrei daquela piada que tem o bordão "calma, Burro, eu sei o que eu estou fazendo!").

Luiz Navarro disse...

de governador valadólares para governador valadeuros!

Anderson Ribeiro disse...

Isso faz lembrar novela da Globo que possuia cidades com influência inglesa tipo Greenville e outras que não lembro os nomes. De Falar:- Well... estou very cansado... agora eles vão falar ao pagar o táxi e chegar ao destino: Mui thank you.

Elisandra Amâncio disse...

Ainda não conheci GV... mas já deu para ter idéia com os seus "pitacos". Tô com saudades Julita. bjs.

Júlia Tavares disse...

Anderson, ótima lembrança a sua. Acho que essas novelas conseguiram fazer uma bela pradódia de personagens reais dessas cidades no interior do brasil.. outra coisa que as novelas exploravam eram os coronéis que tinham a máquina pública para usar e abusar do poder. de novo, a cara de GV... bom, beijos proceis!