terça-feira, 31 de março de 2009

Balaio de Minas

Oba! O programa de Astronomia do Planeta Minas Ciência e Tecnologia vai ao ar nesta terça-feira, às 21h40, com reprise sexta, às 13h30, e sábado, às 18h30 – só para os que estão em cidades mineiras com sinal da Rede Minas (Canal 9 e Canal 20, na TV a cabo). Os amigos de outros Estados ficam com este prêmio de consolação: alguns bastidores dos cenários inesperados que encontramos ao longo de quase 15 dias em viagens.

Itajubá














- Onde fica o restaurante sem nome?

- O Sem Nome? Entra à direta e vire à equerda.


Diálogo insólito, porém real. O dito sustenta com requinte a denominação “Sem Nome”, como comprova a foto. Segundo restaurante mais requintado da cidade, acreditem, oferece um menu de comida mais paulista que mineira, com suculentos pedaços de baby beef à gosto do freguês. Jantei por lá três noites seguidas, feliz em ter encontrado um lugar sem nome, porém com sabor.

Brasópolis

















A neblina atrapalhou parte das gravações e acabou com as esperanças de enxergar algum astro no Espaço. Mesmo assim, conhecer o maior observatório em solo brasileiro foi uma experiência interessantíssima. Entre uma cúpula e outra, no entanto, a grande recomendação dos pesquisadores é olhar o chão: em meio a uma reserva ambiental, com lírios selvagens que ultrapassam minha [pouca] altura, o Pico dos Dias é lugar cativo de variadas espécies de cobras.

Cristina












Todos os caminhos levam a Cristina, onde águas gasosas cortam ruas e dividem a existência dos moradores. Pelas vielas baixas da cidade verde, ainda circulam forasteiros e mensageiros em busca da dama que deu nome ao vilarejo. Cristina, dizem outros, é o sonho inebriante da fortuna e do amor: uma cidade sem saída.

Cambuquira













Fomos os últimos hospedes “leigos” do Grande Hotel Trilogia, antigo Grande Hotel Empresa. A verdadeira concretização do tabuleiro do jogo Detetive: salão de jogos, de festa, de música, de jantar.... Fundado na década de 20, o hotel acompanhou o auge da estância hidromineral, no sul do Estado. À época, socialites de todo o país lotavam a cidade em busca de tratamentos de saúde que utilizam água mineral. E não só isso: a Cambuquira era famosa pelos cassinos.

Com o fim do jogo, o hotel entrou em decadência, faliu e ficou fechado por vinte anos até ser comprado por fundadores da Trilogia Analítica – “uma linha de psicanálise fundada na ciência, na filosofia e na espiritualidade”, segundo definição do próprio grupo. Reformado, passou a abrigar encontros internacionais dos participantes. E também já recebeu uma frutífera visita de caçadores de fantasma dos EUA, que filmavam um documentário sobre o tema. Por sorte, não tive encontros de terceiro grau: mas basta fechar os olhos e imaginar centenas de hóspedes e funcionários percorrendo corredores, tocando piano, jantando, dançando. De arrepiar.

6 comentários:

makely disse...

Júlia, você já conhece Minas mais do que a maioria dos mineiros! Beijos

ZECA LEMBAUM disse...

Essa de, "todos os caminhos levam a Cristina" é muito boa- gostei!

Ps: Cris e eu vamos pra BH e Ouro Preto na semana Santa.

Beijabraços.

Anderson Ribeiro disse...

Te vi na TV Brasil. Adorei sua performance. beijos

Marcelo de Paiva - Varginha MG disse...

Júlia, massa demais a reportagem sobre Astronomia. Sou estudante de Jornalismo, e é muito bom assistir à matérias sem aquele jargãozinho Rede Globo.
O bacana em você é que transmite credibilidade sem ser sizuda. Deixa a matéria mais leve e mais bonita.

Júlia Tavares disse...

Olá, Marcelo, muito obrigada pelo retorno! Não é sempre que tenho a chance de ouvir/ ler comentários por parte de telespectadores. Por coincidência, estou nas gravações do próximo programa em Varginha, na fazenda experimental Pro Café. Pena que o tempo seja tão corrido!
Um abraço!
Júlia

marcelo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.