segunda-feira, 27 de julho de 2009

A tal gripe...












A gripe impronunciável mata tanto quanto uma gripe comum. É bem menos perigosa do que a dengue, por exemplo, que continua sendo cultivada em vasinhos de violetas pelo país. Mas é ela que ganha manchetes, "vivos" televisivos e bate papo no sofá da loira do papagaio. É ela, portanto, que assusta. [E dá-lhe Saramago e seu Ensaio sobre a cegueira...]. O medo, mais uma vez, está entre nós. A charge de Duke, no Tempo hoje, diz tudo.

8 comentários:

homerman disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
homerman disse...

Fico imaginando se algum português vai escrever um livro sobre a gripe impronunciável:

Ele começaria com o 'primeiro homem gripado', um mexicano que cultiva um chiqueiro, plantando violetas em vasinhos e começando a se sentir como Peter Parker ao ser picado pela aranha radioativa.

Uma semana depois, sua família morre de complicações da dengue, enqunto a ONU acha que uma doença que se espalha rápido é mais letal do que uma vindo a longo prazo.

Saramago estava certo afinal, e o 'ensaio sobre a gripe impronunciável' não é mais necessário.

=X

Júlia Tavares disse...

Olá, Homerman!
Muito legal seu comentário. Concordo totalmente. Aliás, esta gripe tem todos os elementos de literatura fantástica: um porco, um mexicano, uma máscara... e o medo. Nesta nossa versão, tem até um vaso de violetas adormecidas!
Mas dificilmente a literatura conseguiria alcançar a loucura da realidade.
Um abraço.

homerman disse...

Hahahaha! ^^

Concordo. Mas, se hoje em dia levam Galileu e Copérnico a sério, é capaz que daqui uns 300 anos, a civilização passe a prestar atenção em Saramago.

Outra coisa, espero não estar sendo enxerido. Você disse que ficou sabendo de fãs ávidos pela Zula no youtube. Eu sabia que você interpretou a Zula, mas fiquei curioso pra saber como ficou sabendo dos comentários no vídeo.

Poderia me contar?


Pretendo passar aqui regularmente pra ler os posts. Adorei o blog! \o/

Abraço.

Júlia Tavares disse...

Olá!
Eu conto sem problemas, mas antes faço outra pergunta enxerida: quem é você?
Obrigada pela visita ao blog!

homerman disse...

Técnicamente, "ninguém".

Bom... Na verdade, eu sou o cara do youtube, que deixou um comentário elogiando hiperbolicamente seu trabalho e querendo saber seu nome. Depois que soube, achei seu blog e quis deixar um comentário.

Desculpe mesmo... Eu não quis fazer o papel de um stalker.

homerman disse...

Esqueci de responder sua pergunta:

Basicamente, sou um cara que admira seu trabalho, seu carisma e seu potencial, e vim aqui guiado por isso. Não sei se há outras pessoas que aparecem por aqui dizendo 'você marcou minha infância, foi um dos melhores episódios do castelo, etc', mas foi isso que me trouxe aqui. Pensando bem, mesmo que você não tenha achado o vídeo por coincidência, já me anima ter tido a oportunidade de poder te falar que você de fato marcou minha infância. =)

Abraço e até o próximo post!

Júlia Tavares disse...

Olá!!
Não se preocupe, não cheguei a acionar a ABIN! rsrs
Mas tente imaginar o quanto é engraçado ter contato com "fãs da Zula" tantos anos depois...
Abraço!