quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Zoológico comestível














Era uma vez um administrador da área de farmácia. Fanático por cerveja e comida de boteco, resolveu fazer um curso de gastronomia. A escola era séria, mas sabe-se lá como as tais aulas acabaram servindo de inspiração para uma ideia bastante maluca – abrir um bar especializado em carnes... exóticas! Depois de muita pesquisa, investimento e experimentação de pratos, o bar do Juliano finalmente abriu as portas com o estiloso nome de Rima dos Sabores. A ideia está fincada no bairro do Prado, tradicionalmente residencial e um pouco afastado do centro e da noite badalada de BH.

E não é qualquer boteco, não. O bar é literalmente uma casa, daquelas antigas, com taco no chão e varanda fresquinha. A decoração foi encomendada com a Asmare, famosa associação de catadores de material reciclável - o tampo de algumas mesas é feito de restos de tubo de pasta de dente; as luminárias são feitas de objetos de cozinha velhos e as paredes são lotadas de quadrinhos com retratos encontrados no lixo. Histórias de gente de verdade trazidas a tona – quem disse que isso não é arte?

O cardápio organiza as opções de um jeito super simpático – você pode escolher entre ruminantes, nadantes e saltitantes, entre outros. Confesso que ainda tropeço nessa tal rima de sabores. Desta terceira vez que estive por lá optei por uma poesia, digamos, mais pobre. Fiquei com o jacaré. O búfalo e o avestruz me olharam de longe, chamativos entre os molhos e temperos..... só olharam.

O animadíssimo Juliano garante que todos os fornecedores de carne são legalizados. Ufa! Então o jeito é provocar o paladar sem pensar muito nos animais da floresta...

Para terminar este jabá espontâneo e não pago, falta o serviço básico - Rua Esmeralda, 522, Prado. (31) 3243-7120. Aberto de segunda a sábado, das 17h às 20h. E se você for vegetariano convicto, não se sinta excluído - peça logo a porção de bolinho de mandioca com parmesão.

Na foto, dia do meu aniversário, pose para um retrato não reciclável na parede. O Juliano é o moço de bandana na cabeça. Detalhe para o ovo verdadeiro de avestruz...

2 comentários:

Dag disse...

Ahooo!
Linda Julita!

adorei o texto... me imaginei ckm um pastelzinho de avestruz... humm.. rs

beijo beijoca!

Anderson Ribeiro disse...

Hummmm, já sei pra onde irei quendo estiver em BH e na companhia de quem. Hahahahahahahaha.