domingo, 27 de abril de 2008

Língua

Em Minas, pronomes são desnecessários e enfadonhos. Não se diz “eu me formei no ano passado” ou “ela ainda não se arrumou para sair”, mas sim “formei ano passado” e “não arrumô”. Nessa lógica de linguagem, gosto de usar o “Anima?”. É um convite para outra pessoa: “Quero ir ao teatro esta noite. Você se anima a ir junto?”.

E sempre há uma única palavra local para descrever situações complicadas. “Garrei” é minha preferida. Na primeira pessoa, o verbo “garrar” quer dizer “tive um problema e não vou sair do trabalho na hora que combinamos, pode esquecer de me esperar, a coisa aqui tá preta”. Há também a variação para quem “garrou” no trânsito e não vai chegar em casa a tempo do jantar. [Sim, aqui o trânsito já me provoca deja vù de São Paulo em alguns horários.]

Na verdade, ainda patino no nível intermediário de mineirês. Acabo de descobrir, via meu ombusdman Eduardo, que “Tô garrado” como resposta a um convite é confirmação de presença. Exemplo:

- Véi*, cê vai no churrasco lá amanhã, véi?
- Nó, véi, tô garrado!

*Velho

Já vi que preciso tirar o diploma de nível avançado antes das próximas análises semânticas...

4 comentários:

makely disse...

Júlia, você pode dizer também que está 'garrando' alguém, e isso não significa que vocês estejam brigando, muito pelo contrário!

Anderson Ribeiro disse...

Isso quando não juntam tudo numa só palavra. tipo o lá amanhã do convite que vc escreveu, poderia ser muito bem 'lamanhã'. Baratotal isss. hehehehehe. Hahahaha. O makely foi bem no sinônimo. kkkkkk. Beijo. OBS: Nunca entendi porque essas letras de confirmação para puiblicação são tão tortuosas e difíceis de ler... não é só uma confirmação? Pra que tanta distorção, meu Deus! Pronto errei a primeira!!

Júlia Tavares disse...

Bem lembrado, Makely!! Aguardo outras lições suas por aqui...
Anderson, você tem talento para tirar o PHD em mineirês. Venha para as aulas de fluência e ganhe uma hospedagem di gratis na minha casa. Sem letras tortuosas de confirmação, tá? Beijo pros dois.

Elisandra Amâncio disse...

Julita... achei hiper engraçado este seu post... Não é atoa que já considero-me uma mineirinha (agora paulista só de nascimento). Não só entendo o Mineirês, como também falo fluentemente kkkkk... bjão querida!