sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Back to the pau-de-arara













Na minha mais recente visita rápida por Sampa, descobri uma jogada da Viação Cometa: a passagem do ônibus convencional está um pouco mais barata – R$ 69,80 ida e R$ 65,80 volta - mas agora esses preços valem para o pau-de-arara. Ressuscitaram os modelos da primeira (ou segunda, não importa) geração dos ônibus azuis, que ainda não prezavam pelo conforto, não serviam água e não conheciam a tecnologia do ar-condicionado.

Entrei em contradição. Quando há ar-condicionado, reclamo bastante do freqüente frigorífico que se instala no ônibus ao longo da viagem. O motorista regula o ar para 10ºC e não quer saber se a tripulação lembrou de trazer luvas, gorro e casaco de neve. É sempre preciso que um porta-voz da turma insista com o condutor, implorando por temperaturas mais próximas ao Trópico de Capricórnio. (Sim, já assumi esse papel algumas vezes. Nas viagens noturnas, a liderança política tende a enfraquecer.)

Mas desta vez vivi na pele o revival das viagens de 18 horas até Goiânia, que fiz uma vez por ano quando criança: pouca inclinação da cadeira, cortina empoeirada na cara, vizinho de trás querendo fechar a janela, vizinho da frente querendo abrir. Estrelas, madrugada, primeiros raios de sol, vira, mexe, vira. E nada de dormir. Por sorte ninguém vomitou nem comeu salgadinhos cheetos sabor queijo.

Fica o alerta aos meus próximos visitantes: vale a pena gastar dez reais a mais pelo executivo. Ou antigo convencional...

Um comentário:

lau lopes disse...

ahaaha
adorei, ju! tb tenhos sentimentos paradoxos em relação a ônibus intermunicipais: o gelo do ar condicionado ou o incômodo dos modelos pré-históricos? cheguei à conclusão de que é melhor gastar mais e ir de semi-leito, com ar condicionado, poltronas reclinantes e, o mais importante, travesseiro e cobertorzinho!!!
bjos